OpenJDK Br

openjdk

Java é uma das tecnologias de desenvolvimento de software mais importantes no Brasil. As grandes empresas e, em especial, o governo brasileiro, são usuários desta tecnologia.

A JVM – Java Virtual Machine – é o componente central da tecnologia Java. A JVM garante que aplicações Java sejam multiplataforma e fornece a elas as funcionalidades necessárias. A JVM é um componente fundamental para os desenvolvedores que utilizam essa tecnologia, seja para aqueles que desenvolvem aplicações de desktop, como é o caso do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) desenvolvido pela Receita Federal e pelo Serpro, seja para aplicações de servidor, como é o caso dos sistemas de Loterias da Caixa Econômica Federal. O Brasil em geral, e o Governo Brasileiro em particular, têm feito enormes investimentos em desenvolvimento Java. Esses investimentos são dependentes da Máquina Virtual Java.

Observa-se que o setor público brasileiro, tanto em âmbito federal como estadual, faz investimentos cada vez maiores nesta tecnologia. Grandes projetos como os do Serpro, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Central, Dataprev, Datasus e Procergs utilizam a tecnologia Java. O governo federal busca, cada vez mais,  a independência e  a liberdade de escolha – e Java é uma ferramenta importante nos esforços de software livre já realizados.

Outra importante decisão tecnológica feita pelo Governo é a adoção de softwares livres em seus projetos. Tal decisão não só reduz os custos dos projetos,como possibilita maior independência do País em relação ao mercado externo, além de fomentar o desenvolvimento de tecnologia e conhecimento internos. Mais uma vez, Java é parte importante dessa discussão, tendo sido a tecnologia de escolha em alguns dos principais projetos voltados para suportar as iniciativas de software livre, como, por exemplo, o Projeto Direto (Procergs) e o IRPF Multiplataforma (Receita Federal).

A comunidade de desenvolvedores, as empresas e o próprio governo brasileiro dependem de uma JVM estável, livre e aberta, para manter seus projetos e continuar o fluxo de inovação que tem surgido nos últimos anos no País.

No entanto, embora exista uma versão totalmente livre da JVM, que é disponibilizada pelo Projeto OpenJDK, a quase totalidade dos projetos em Java no Brasil ainda utiliza a versão proprietária da JVM. A utilização desta versão proprietária pode parecer inofensiva a princípio, uma vez que é uma versão gratuita, porém, sua utilização massiva gera um enorme problema, pois esta foi descontinuada e testes preliminares mostram que diversos sistemas críticos do governo brasileiro deixaram de funcionar ao testar sua aderência ao OpenJDK.

Soma-se a esta dificuldade o fato de que o Projeto OpenJDK é administrado por um conselho gerido, na sua maioria, por grandes empresas de software americanas, que tem interesses comerciais que, muitas vezes, conflitam com os interesses nacionais.

Durante o 11º Fórum Internacional de Software Livre, acontecido em Porto Alegre, diversas instituições governamentais assinaram o documento “O governo brasileiro e a máquina virtual Java livre e aberta” onde demonstram sua preocupação quanto ao futuro da máquina virtual Java livre – OpenJDK, principalmente depois do processo judicial envolvendo as empresas Oracle e Google, por quebra de patentes do uso da máquina virtual Java.

O CPAI ciente da vulnerabilidade estratégica da dependência de uma máquina virtual Java cuja governança é realizada fora do país, coordena o esforço nacional do domínio tecnológico desta VM, através da comunidade OpenJDK BR, dedicada a discutir, em Português, o uso, testes e a evolução da OpenJDK, pois o contrário representaria a perda da autonomia, independência e liberdade de escolha de todos que utilizam essa plataforma.

O objetivo desta comunidade é servir de ponto central para coletar os resultados dos testes realizados pelo governo e pela sociedade, onde se compilará os erros encontrados nas bibliotecas Java não incorporadas ao projeto OpenJDK, contribuir com a correção destas inconsistências e com a evolução desta Maquina Virtual, através de ações de pesquisa e desenvolvimento em software livre.

Para maior esclarecimento sobre o tema, recomendamos assistir os vídeos abaixo:

Máquina Virtual Livre – Parte 1

Máquina Virtual Livre – Parte 2